quarta-feira, 29 de julho de 2009

34#




Eu sempre tenho dúvida daquela pergunta que nunca fiz. Eu sempre tenho a impressão de que pareço não existir. Eu sempre vejo todas as letras de música, e elas parecem ter rimas. Eu sempre tenho uma certa desconfiança de que eu sou maluco por mim mesmo. Eu sempre vivo a entender que o mar é salgado, o açúcar é doce, e o piqui* é amargo. Eu sempre vejo que estou cego, e que pouco posso sentir quem esta perto de mim. Eu sempre tenho a impressão (não de imprimir, mas de sentir) de que estou fazendo algo correto, mas por fora ele não é. Eu sempre tenho uma percepção, que tenho uma grande concentração para as coisas tolas e banais. Eu sempre tenho a (leve) impressão, que eu estou escrevendo na hora errada, e que esse blog já foi massacrado por essas minhas bobagens insistentes

*Eu não sei que gosto é isso,mas "tá" Valendo.

terça-feira, 21 de julho de 2009

33#


Viver de sonhos, é insuficiente para quem tem desejos, pois um ser de verdade vive de realidades.
Não adianta só pensar no que se quer, ou desejar por pensamentos que vem a mente, por que tudo o que se vê (e se faz),é real, não ilusão.
Sonhar é bom, concerteza não discordo disso.
Mas fazer acontecer é tudo, pois estamos nos dando o esforço a algo que até um momento era ficção.
Não quero ser dessenssivel, ou bruto como uma pedra, mas um algo real vale muito mais que um sonho que se vê em nós todos os dias.

sábado, 11 de julho de 2009

Re-Offender



Um pequeno disturbo da falta de paciência acaba de acontecer.
4 amigos,formavam uma banda com um som bacana.
Só que havia um problema entre eles: as brigas.
Eles brigavam muito por pouca coisa.
Esquentavam a cabeça por algo tão frio.
Ficavam furiosos num momento onde podiam relaxar e elogiar (ou ajudar) um ao outro.
Mas só discutem, xingam, e acabam brigando por mínimo.
Eles batiam boca com uma intensidade fulminante, e assim, iniciavam as brigas, que deixavam muitas marcas.
Marcas essas, que ficavam expostas, no corpo, e na face.
Nos pequenos shows que faziam mundo a fora, poucos percebiam aquilo escancarado, mas logo paravam de pensar, pois o som deles era hipnotizador.
No termino dos shows, as brigas persistiam, e isso já era uma rotina que os corroíam.
Que pena eles são tão furiosos, tenebrosos, raivosos, como uma tempestade na cidade (ou pior que isso).
Quem sabe algum dia, eles possam controlar seus impulsos nervosos, e voltarem a cantar com um pouco mais de felicidade.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

32#


Tem alguém aí fora,querendo invadir e se transformar em solidão?

Se quiser vir,não á por que temer,pois a sua companhia não me deixará tão sozinho.

Podemos conversar,matar as saudades de algo intimo a nós,viver o presente e quem sabe pensar no futuro.

Podemos tomar café se você quiser,assistir algo que nos agrade,ou simplesmente não fazer nada.

Também podemos subir na laje,soltar pipa,imaginar algo,ou ver o pôr-do-sol.

Mesmo que você não me faça o homem mais feliz do mundo,te aceito como um ser que está preenchendo um lugar,que a um bom tempo vive sem ninguém.

Total de visualizações de página

Parcerias (ponhas a sua aqui também)





Image and video hosting by TinyPic
" />

Contato

Orkut
Twitter
Facebook
YouTube

My Tumblr

Ocorreu um erro neste gadget